55 11 3079-0413 55 13 3367-1303

Terminal intermodal de Jundiaí bate expectativas e opera 12 trens para o Porto de Santos

Empreendimento da Contrail Logística já está atendendo empresas como LG Eletronics, Amcor, GL Foods e Mavalério. Operações interligam ferrovia, rodovia e navegação 

 

Após dois meses de atividades, o Terminal Intermodal de Jundiaí (TIJU) vem superando as expectativas. Em fevereiro, foram transportados 12 trens carregados com contêineres entre o terminal e o porto de Santos. A Contrail Logística, responsável pelo TIJU, já tem entre seus primeiros clientes a LG Eletronics, Amcor, GL Foods e Mavalério.

A operação para a Amcor, por exemplo, começa com o transporte de embalagens PET via cabotagem (navegação doméstica) entre os portos de Manaus e Santos. Do litoral paulista, a carga é transportada por trem até o Terminal Intermodal de Jundiaí. A média mensal é de 120 contêineres por mês e a expectativa é aumentar esta demanda para 200 contêineres por mês. Além do transporte, a Amcor também utiliza o TIJU como buffer para armazenagem da carga em meses de baixa produção.

Outro ponto importante para a alavancagem dos volumes no terminal é a parceria da Contrail com os principais armadores de Cabotagem e Longo Curso que escalam navios no porto de Santos. Com isto, é possível reaproveitar os contêineres de importação e cabotagem oriundos do porto de Santos e retorná-los com cargas de exportação, tornando assim a logística muito mais eficiente para os clientes e armadores.

O tempo de percurso entre o TIJU e o porto de Santos também tem sido melhor que o previsto. Operado pela MRS Logística, o trem tem levado 16 horas para realizar o trajeto – quando o tempo previsto para este trecho era de 24 horas.

Vantagens do TIJU

O novo Terminal Intermodal de Jundiaí entrou em operação no final de dezembro. Em uma área de 75 mil metros quadrados, o empreendimento da Contrail oferece uma solução mais eficiente e competitiva para exportações, importações e logística doméstica, via ferrovia, até o Porto de Santos.

Operações intermodais como esta podem beneficiar especialmente indústrias ligadas à importação (de insumos) ou exportação (de bens acabados), localizadas em cidades próximas a Jundiaí e Campinas, como Louveira, Vinhedo, Valinhos, Itupeva, Salto, Campo Limpo Paulista, Várzea Paulista, Itu, Amparo e Itatiba – além de Cajamar.

Com a retomada do crescimento econômico e a maior busca por eficiência, a ferrovia oferece baixo custo, previsibilidade, acesso sem filas ao porto e um nível elevadíssimo de segurança operacional (baixo índice de acidentes) e da carga (índices quase nulos de roubo) – estes dois itens reduzem também custos com seguros. Além disso, o transporte ferroviário tem baixo impacto ambiental (uma composição ferroviária, com 21 vagões, transporta o equivalente a 42 caminhões).

Pulmão de cargas

Com sua localização privilegiada e com a integração entre modais de transportes, o TIJU também reduz custos dos clientes com armazenagem de cargas, uma vez que os contêineres podem ficar na área da Contrail, liberando espaço nos estoques das indústrias. Dessa forma, o empreendimento funcionará como um “pulmão logístico”, regularizando o fluxo operacional e evitando grandes picos de demandas.

Sobre a Contrail

A Contrail Logística S.A. surgiu em 2010, com uma parceria estratégica entre EDLP (Estação da Luz Participações) e MRS Logística. Juntas, estas empresas desenvolveram um modelo logístico para o transporte de contêineres na região mais desenvolvida do país, transpondo de forma eficiente e sustentável a Serra do Mar, que separa o Porto de Santos do Planalto Paulista.

BTG Pactual e Eurogate entraram como sócias da Contrail, trazendo mais solidez financeira e operacional.

A Contrail implantou o primeiro hub intermodal do Brasil, o TIPS (Terminal Intermodal Porto de Santos), com 300 mil metros quadrados de área, capacidade para movimentar até 1 milhão de TEUs por ano e atuando no transporte multimodal de contêineres entre o Porto de Santos e as regiões de Campinas e Vale do Paraíba.

Leave A Comment