55 11 3079-0413 55 13 3367-1303

Contrail retoma transporte ferroviário de cargas entre Jundiaí e Santos.

Contrail retoma transporte ferroviário de cargas entre Jundiaí e Santos

Gilson Pichioli é diretor de Infraestrutura Logística do CIESP Jundiaí

O CIESP Jundiaí promoveu na quarta-feira (13), o último encontro do ano do Departamento de Comércio Exterior e Infraestrutura Logística. Coordenada por Gilson Pichioli, a reunião aconteceu no auditório Elis Regina, no Complexo Argos, e contou com a presença dos executivos da Contrail S/A Logística que apresentaram a proposta para retomada do transporte ferroviário de cargas entre as cidades de Jundiaí e Santos, serviço que foi desativado em 2012.

Para o diretor de Infraestrutura Logística do CIESP Jundiaí, Gilson Pichioli, o Terminal Intermodal de Jundiaí (TIJU) vai aumentar a competitividade das empresas de Jundiaí  e Região, ao mesmo tempo em que oferece segurança, previsibilidade e custos menores. Defensor da ferrovia, Gilson acredita que o transporte multimodal é a solução logística mais eficiente e sustentável para a região.

“Organizamos este encontro para que todos os profissionais que lidam com comércio exterior tivessem a oportunidade de entender, tecnicamente, como a Contrail vai operar na região”, explicou Gilson, explicando que a vinda da Contrail faz parte de um projeto com três fases. “Estamos concluindo a primeira fase deste projeto com a vinda da MRS e da Contrail. Na segunda fase, vamos buscar junto à Receita Federal do Brasil, a possibilidade de instalar um Redex, talvez no próprio terminal. Numa terceira fase, a médio e longo prazos, tornar Jundiaí, verdadeiramente, um polo logístico com as  indústrias existentes”, completou.

Diego: o serviço de transporte intermodal será porta a porto

Diego Guardia Bueno, gerente comercial da Contrail, explicou tecnicamente como será a operação do terminal intermodal, as particularidades, como capacidade, segurança, eficiência no transporte, entre outras vantagens competitivas que o transporte ferroviário oferece. “Vamos atuar numa área de 75 mil m2, com capacidade diária para um trem com 21 vagões. Além disso nossa capacidade de movimentação será de 70 mil TEUs com segurança 24 horas, 7 dias por semana”, destacou. Além de Diego, Yves Civolani, diretor financeiro e Juliana Legnaro Canteiro, responsável pelas áreas de marketing e comercial da Contrail participaram do encontro.

Outra vantagem do transporte ferroviário é a chegada e saída do trem no Porto de Santos. “A chegada e saída do trem no porto com programação definida e sem necessidade de agendamento”, explicou Diego. “A ferrovia nos dá acesso aos terminais da margem esquerda (Santos Brasil e Embraport) e o acesso aos terminais da margem direita, através do TIPS e TEVAL, com ponta rodoviária até os terminais portuários”, completou.

Diego é gerente comercial da Contrail

Terminal Intermodal de Jundiaí – TIJU

Diego destacou também que o serviço de transporte intermodal será porta a porto, utilizando a ferrovia da MRS Logística. “Inicialmente, teremos 2 trens semanais para o Porto de Santos, com serviço de transbordo ferroviário, a entrega e coleta rodoviária será executada pela Contrail, que ainda fará a armazenagem de contêineres cheios e vazios, estufagem e desova”, explicou.

A Contrail tem ainda parceria com os principais armadores que atuam no porto de Santos, para disponibilização do contêiner vazio no TIJU e vai oferecer, via transporte rodoviário, a coleta e entrega dos contêineres nas fábricas e Centros de Distribuição das empresas na região.

O terminal vai operar de segunda a sábado, inicialmente, das 7 às 22 horas. “Outra vantagem é a sustentabilidade. O transporte ferroviário de cargas proporciona uma redução em até 70% da emissão de CO2, se compararmos ao transporte rodoviário”, ponderou.

Cíntia Souza – Assessoria de Comunicação – CIESP Jundiaí

Leave A Comment